Página inicial
Sala de leitura
Enem
Críticas e sugestões
Eventos
Links paratodos
videos
 


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E CONHEÇA ALGUNS VIDEOS DIDÁTICOS CPTEC.INPE


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E CONHEÇA JOGO – QUEBRA CABEÇA COM MAPA-MÚNDI FÍSICO


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E CONHEÇA MAPA INTERATIVO DAS EMISSÕES DE CO2 NOS DIFERENTES PAÍSES DO MUNDO E DADOS DEMOGRÁFICOS.


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E JOGUE COM O MAPA DA EUROPA


CLIQUE NA IMAGEM E LEIA AS MANCHETES DE HOJE DOS JORNAIS DE TODO O
MUNDO.


VEJA O QUANTO VOCÊ CONHECE SOBRE CONTINENTES E OCEANOS


2 JOGOS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL


CLIQUE NA IMAGEM E CONHEÇA O MAPA-MÚNDI INTERATIVO

site www.geocienciasnomapa.com.br
CLIQUE NA IMAGEM E CONHEÇA UM SERVIÇO DE LOCALIZAÇÃO ESPACIAL DE TESES E DISSERTAÇÕES EM GEOCIÊNCIAS

 

CAPÍTULO 4 - GEOPOLÍTICA ATUAL – UM MUNDO EM CONSTRUÇÃO

 

VESTIBULAR 2012

 

EUA SOB ATAQUE [...] 11 DE SETEMBRO DEZ ANOS EM UMA NOVA ROTA

O mundo não foi mais o mesmo desde o 11 de setembro de 2001: o mais espetacular atentado suicida de todos os tempos matou 2.976 pessoas. O ataque coordenado, há exatos dez anos, foi lançado contra Nova York, capital financeira dos EUA, e Washington, centro do poder político e militar do país.
Naquele mesmo dia, inesquecível para qualquer pessoa “conectada” com as notícias do mundo, soube-se que a História ganhava, então, novos rumos.

(EUA SOB ATAQUE. A Gazeta, Vitória, 11 de setembro de 2011, MUNDO, p. 46).

Um dos principais discursos veiculados na era da globalização é o de que vivemos num mundo sem fronteiras, a chamada aldeia global. Explique uma consequência, para o mundo globalizado, dos atentados de 11 de setembro de 2001, relativa a cada um dos seguintes aspectos:

a) político-econômico;
b) cultural.

Resolução:

a) Uma das principais consequências no aspecto político-econômico que podemos apontar diz respeito ao aumento do controle das fronteiras nacionais, principalmente através de medidas mais rigorosas nos quesitos de segurança tomadas nos aeroportos internacionais;

b) Um das principais consequências no aspecto cultural refere-se ao aumento do medo coletivo em relação a novos atentados terroristas, que se desdobra na incidência cada vez maior de medidas de intolerância aos islâmicos.

(MACK)

“Atacar não significa apenas assaltar cidades muradas ou golpear um exército em ordem de batalha, deve também incluir o ato de assaltar o inimigo no seu equilíbrio mental.”

Sun Tzu-Ping-fa, A Arte da Guerra, séc.IV a. C.

Terrorismo: 1. Modo de coagir, ameaçar ou influenciar outras pessoas, ou de impor-lhes a vontade pelo uso sistemático do terror; 2. Forma de ação política que combate o poder estabelecido mediante o emprego da violência.

Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa

A respeito do atentado terrorista, ocorrido em 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos, e as consequências desse episódio para as relações geopolíticas internacionais no século XXI, é correto afirmar que

a) foi mais uma ação liderada pelos grupos extremistas Hamas e do Hezbollah, contra a política norte-americana no Oriente Médio, utilizando, para tais ações suicidas, somente jovens de baixa renda e de pouca instrução, que acreditavam que tais atos lhes garantiriam o direito de ingressar no paraíso celestial.
b) a resposta americana ao ataque de 11 de setembro foi a perseguição sistemática ao milionário saudita Osama bin Laden que, em transmissões realizadas pela mídia na época, assumiu publicamente a autoria do atentado, provocando o aumento do sentimento xenofobista do povo norte-americano aos imigrantes de origem árabe residentes no país.
c) formou-se uma coalização internacional contando, principalmente, com o apoio da Inglaterra junto aos Estados Unidos, a fim de combater os focos terroristas no Oriente Médio, dando início à Guerra do Golfo e a um esforço, perante as agências internacionais de notícia, de combater o islamismo fundamendalista.
d) o ataque sofrido pelos EUA em 2001 tem relação direta com a atuação política norte-americana no Oriente Médio, que sempre visou atender aos interesses econômicos americanos na região, e resultou no aumento da insegurança junto à sociedade americana, jamais atacada anteriormente em seu próprio território.
e) a partir desse episódio, os EUA cortaram relações diplomáticas com o Paquistão, pois houve relutância, por parte da liderança religiosa paquistanesa, em indicar o local exato do esconderijo de bin Laden, o que possibilitaria a sua prisão imediatamente após o atentado de 11 de setembro.

(MACK)

 

 

A charge acima faz referência
a) à manutenção do embargo econômico imposto pelos EUA à Cuba desde 1961.
b) ao controle militar que os EUA exercem sobre todo o território cubano desde a crise dos mísseis de 1962.
c) ao fracasso das mudanças em Cuba, que resultaram na ampla abertura econômica e na volta da democracia, com a eleição direta de Raul Castro.
d) à aliança entre os EUA e Cuba, agora sob o comando de Raul Castro, para o combate à pobreza na ilha.
e) ao isolamento que a Organização dos Estados Americanos, OEA, impôs à Cuba, recentemente, para pressionar a volta da democracia.

(UDESC) Para alguns autores, a globalização é a fase mais recente da expansão capitalista. Nesta etapa alguns chefes de Estado têm feito conferências e decidido sobre as maiores operações industriais e financeiras do mundo. As ações deste grupo privilegiado, também conhecido como G-8, são decisivas para a economia mundial.

Assinale a alternativa que contém os países que compõem o G-8.
a) Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Canadá, Itália, Reino Unido e Rússia.   
b) Israel, França, Holanda, Dinamarca, China, Taiwan, Suíça e Reino Unido.   
c) Alemanha, França, Reino Unido, Espanha, Japão, China, Rússia e Canadá.   
d) Japão, China, Estados Unidos, Itália, Bélgica, Holanda, Luxemburgo e Suíça.   
e) Alemanha, Itália, Israel, Polônia, Rússia, Canadá, Dinamarca e Grécia.   

 

 

VESTIBULAR 2011

 

(MACK) O dissidente chinês Liu Xiaobo obteve, nesta sexta-feira, o Prêmio Nobel da Paz 2010, devido ao uso da não-violência na defesa dos direitos humanos, no seu país natal. A China reagiu duramente, qualificando a decisão de uma “blasfêmia” ao próprio prêmio.

Folha de S.Paulo, 08/10/2010

 

A conquista do Prêmio Nobel pelo ativista chinês, que participou das manifestações ocorridas na Praça da Paz Celestial, em Pequim, e duramente reprimidas pelo governo em 1989, deixam claras as contradições com as quais a China se depara no início do século XXI, porque,

 

I. a abertura econômica, a partir de 1978, acabou com o coletivismo dos tempos maoístas e foi responsável pelo crescimento do PIB chinês, favorecido pelos investimentos estrangeiros no país.

II. ao assumir o governo, Deng Xiaoping combinou abertura econômica com totalitarismo político e, mesmo constatando o crescimento desigual no interior da China, tem resolvido os impasses políticos por meio de negociações pacíficas.

III. o paradoxo entre o totalitarismo político e adoção de liberdade de mercado na China tem desgastado as instituições de poder, que recorrem ao exercício da força para conservar o poder diante de um país influenciado pela economia de mercado.

 

É correto afirmar que

 

a) somente I está correta.

b) somente II está correta.

c) somente I e II estão corretas.

d) somente I e III estão corretas.

e) I, II e III estão corretas.

 

(MACK)

 

 

A marinha de Guerra dos EUA tem a distribuição de suas frotas em diferentes lugares do mundo. A esse respeito, é correto afirmar que

 

a) a 7a Frota atende aos interesses estratégicos nas relações de comércio com a China e a sua presença não considera nenhuma outra potência nuclear na região do pacífico.

b) a 4a frota demonstra a histórica preocupação do país em manter a sua hegemonia na América Latina. Recentemente aumentou a sua importância tanto em razão da existência de governos mais críticos à liderança dos EUA, quanto à presença de riquezas naturais recém-descobertas no Atlântico Sul.

c) a 6a frota tem importância secundária na história militar dos EUA e nas suas relações com outras potências mundiais.

d) a 5a Frota tem a sua ação restrita às operações militares de combate ao terrorismo e não dispõe de maiores preocupações estratégicas na região em que atua.

e) a 2a e a 6a Frotas tendem a ser desativadas, pois a Rússia já não representa nenhum risco à segurança dos interesses dos EUA. A entrada dessa antiga potência rival na Otan e a estabilidade de posições territoriais na região do Ártico tornam essa presença militar cada vez menos importante.

 

(UEPB) Observe as fotos abaixo, elas são respectivamente:

 

 

(      ) A queda do Muro da Vergonha, como era designado o muro de Berlim, significou o fim das intolerâncias ideológicas, o que estimulou o grande fluxo migratório em todo o mundo agora globalizado, interdependente e sem fronteiras.

(      ) O fim da Guerra Fria teve como maior símbolo a derrubada do muro de Berlim, porém outros “muros da Vergonha” passaram a ser erguidos, agora não mais ideológicos, mas étnicos, políticos, econômicos e sociais.

(      ) A globalização eliminou as fronteiras para o capital e criou uma integração econômica entre as nações do mundo, mas aprofundou as desigualdades entre ricos e pobres com a criação de barreiras que não são apenas simbólicas, são cada vez mais, também físicas, entre territórios nacionais e dentro dos territórios de uma mesma nação.

(      ) Os muros que se erguem em quase todas as partes do mundo mostram o crescimento dos radicalismos, das intolerâncias e da xenofobia que alimenta as políticas demográficas de extrema direita nos países do primeiro mundo e provoca a morte de muitos que tentam escalar tais muros.

 

Assinale a sequência correta das assertivas.

 

a) F V V V

b) V V V F

c) V V V V

d) F F V V

e) V V F F

 

(UNICAMP) Desde o fim dos governos militares, a América do Sul tem tido um dos mais baixos gastos militares no mundo. Mas o fim das crises econômicas que assolaram o subcontinente entre os anos 1997 e 2000 propiciou condições financeiras para a reemergência de projetos das Forças Armadas e o crescimento dos orçamentos militares para a segurança e defesa em diversos países da região. (Adaptado de Rafael Duarte Villa, “Corrida armamentista ou modernização de armamentos na América do Sul: estudo comparativo dos gastos militares”.

Estudos e Cenários, dez. 2008, p. 48-49. Disponível em http://observatorio.iuperj.br e http://necon.iuperj.br. Acesso em 25/10/2010.)

 

a) De quais assuntos se ocupa a agenda de segurança e defesa dos governos nacionais?

 

b) Quais as principais motivações para a modernização das Forças Armadas por parte dos países sulamericanos?

 

Resposta:

 

a) As principais preocupações de segurança e defesa são aquelas relativas às ameaças à ordem estabelecida e que causam insegurança; os medos que afetam a estabilidade e a integridade dos indivíduos e dos patses (Estados). Alguns assuntos da agenda: narcotráfico, terrorismo e insurgências, migrações descontroladas, crime organizado, marginalidade social (violência), degradação ambiental e proteção de recursos naturais, conflitos regionais, disputas fronteiriças, perda de território, modernização e treinamento das tropas.

 

b) Corrigir a obsolescência do parque militar após anos de falta de investimentos; instrumentalizar-se para participar de missões de paz em outros países; preparar-se para responder a ameaças diversas (narcotráfico, guerrilhas, invasão militar, etc.); instrumentalizar-se frente a um possível conflito internacional; aumentar a influência do país em organismos internacionais e reivindicar assento no Conselho de Segurança da ONU.

 

(UNICAMP) Líder hegemônico da ordem mundial no século XX, os EUA, desde 1945, tornaram-se o principal pilar do sistema financeiro e bancário mundial e, desde 1971, com o fim do padrão dólar-ouro, instituído no Acordo de Bretton Woods (1944), ficou aberto o caminho para uma crescente circulação de dólares americanos no mundo. A emergência de novos polos de produção industrial no mundo e a perda de competitividade da produção americana implicaram um crescimento da dívida pública e privada norte-americana. O motor principal da crise sistêmica atual que afeta o conjunto do planeta encontra-se nos EUA.

(Adaptado de GEAB - Global Europe Antecipation Bulletin, A crise actual explicada em mil palavras, nº. 17. Disponível em www.resistir.info/crise/geab_15set07.html. Acesso em 27/10/2010.)

 

a) Constata-se que há vários anos a economia norte-americana vem perdendo dinamismo. Quais os principais fatores dessa perda de dinamismo?

 

b) Qual o principal fator desencadeante da atual crise sistêmica que se aprofundou em 2008? Qual foi o efeito imediato da crise, no aspecto financeiro?

 

Resposta:

 

a) Os EUA vêm apresentando certa perda de competitividade frente a outros centros econômicos (União Européia e China, por exemplo): seu sistema educacional vivência uma crise, que afeta a formação de recursos humanos; algumas infra-estruturas produtivas estão deterioradas; sua economia apresenta dependência energética (que provoca aumento de custos produtivos) e tem havido crescente endividamento da população e do governo (que resulta em baixa poupança para investimentos); seus gastos militares recorrentemente são preponderantes em relação a tecnologias de uso comercial e de gastos sociais; e sua mão de obra é cara e relativamente menos competitiva.

 

b) O chamado estouro da bolha imobiliária (forte processo especulativo ou crise imobiliária) ocorrido no mercado norte-americano contagiou toda a economia mundial. Com a constatação de que as dívidas imobiliárias e demais eram impagáveis, houve uma repercussão econômica mundial, com a desvalorização de todos os ativos em dólares (as divisas, como títulos do tesouro, ações de empresas, patrimônios imobiliários, etc.), bem como falência de empresas e bancos, gerando aumento de desemprego. Em muitos países houve a tentativa de contenção da crise por meio de aumento de gastos públicos para intensificar investimentos e demanda.

 

(UNESP) Analise a charge e o texto a seguir.

 

 

As teses dos neoconservadores voltaram a aparecer em plena luz do dia com o regresso dos republicanos à Casa Branca, em 2000, depois de uma controvertida vitória eleitoral de George W. Bush (o filho). Sob a influência de neoconservadores como o vice-presidente Dick Cheney, o novo presidente se recusou a assinar o Protocolo de Kyoto de defesa do meio ambiente e rompeu vários tratados internacionais.

(Igor Fuser. Geopolítica – o mundo em conflito, 2006. Adaptado.)

 

Sobre o período que se segue aos acontecimentos da charge e do texto, faz-se as seguintes afirmações.

 

I. Ao contrário dos defensores da redução dos gastos militares após o fim da Guerra Fria, a linha-dura americana propunha a ampliação do aparato militar e do recurso à guerra como principais instrumentos de política externa do governo Bush.

II. O inimigo imediato já estava escolhido: a Arábia Saudita, um país riquíssimo em petróleo. Os EUA acreditavam ter ainda contas a ajustar com o ditador Saddam Hussein, cujo regime havia sobrevivido à derrota na Guerra do Golfo de 1991.

III. A decisão de invadir a Turquia foi tomada quando ocorreram os atentados de 11 de setembro de 2001. Os cidadãos norte-americanos nunca tinham testemunhado um ataque tão devastador em seu próprio território.

IV. A resposta do governo Bush, aos atentados de 11 de setembro de 2001, veio rápida, com um ataque militar fulminante ao Afeganistão. Aproveitando-se da solidariedade internacional aos EUA após os atentados, declara “Guerra ao Terror” e ao “Eixo do Mal”, constituído por Iraque, Coreia do Norte e Irã.

 

É correto apenas o que se afirma em

 

a) I e IV.

b) II e III.

c) II, III e IV.

d) I, III e IV.

e) I, II e III.

 

(UERJ)

 

 

Os dados presentes no gráfico acima podem ser interpretados considerando-se o contexto geopolítico mundial.

Nesse contexto, aponte o fator que explica a variação dos gastos norte-americanos com armas durante a primeira metade da década de 1990 e identifique o principal traço da política externa desse país a partir de 2001.

 

Resposta:

 

Primeira metade da década de 1990: mudança na geopolítica mundial resultante do término da bipolaridade militar característica do período da Guerra Fria.

 

A partir de 2001: Doutrina Bush de guerra ao terror.

 

(FUVEST) A figura abaixo é uma representação esquemática da geopolítica atual (1991_2009), segundo o autor Philip S. Golub.

 

Considerando seus conhecimentos sobre a atual geopolítica mundial, identifique a alternativa que contém um título adequado para a figura bem como informações que completam, corretamente, os itens 1, 2 e 3 da legenda.

 

Resposta d

 

(ESPM) Observe o texto que compara o atual momento entre os países abaixo:

 

Uma nova Guerra Fria se desenha no horizonte, mas com características muito diferentes em relação ao antagonismo entre comunismo e capitalismo que dominou boa parte do século passado.

Ceo Exame. junho de 2010.

 

     

 

 

a) os Estados Unidos são a grande potência militar do globo, enquanto a China sequer possui ogivas nucleares.

b) repetir-se-á o embate entre capitalismo e socialismo dos tempos da bipolaridade, pois as características globais não mudaram o suficiente para superar as diferenças ideológicas.

c) há uma oposição entre os dois países muito parecidos na seara econômica, mas diametralmente opostos em seus sistemas políticos.

d) Rússia e Estados Unidos, hoje, adotam os mesmos sistemas econômico e político.

e) o sistema norte-americano é tipicamente de mercado, enquanto a China adota uma ortodoxa economia planificada.

 

VESTIBULAR 2010

 

(CESGRANRIO)

 

   

Há sessenta anos, com a proclamação da República Popular da China, nascia a maior nação comunista

do planeta. Durante esse período, o panorama mundial se transformou, e sucessivos governos chineses promoveram campanhas e reformas que imprimiram ao país um novo perfil.

   

 

Posted 9/ www.politicalscartoons 29/2009

 

a) Em 1949, a vitória da Revolução levou Mao-Tsé-Tung à presidência da recém-proclamada República Popular da China. Analise o panorama político mundial da época, explicando dois fatores que conduziram a população chinesa à Revolução.

 

 

b) Do livro vermelho de Mao à tecnologia do século XXI, a trajetória chinesa alterou costumes, rompeu barreiras e colocou o país numa posição de liderança mundial. Identifique e explique duas situações enfrentadas pela China, hoje, a partir de sua participação no mundo globalizado, tendo em vista seu ingresso na OMC (Organização Mundial do Comércio) em 2001.

 

Resolução:

 

a)

 

- Bipolaridade típica da guerra fria favorecendo o avanço do socialismo na China, já que ela sofria pressões imperialistas de países capitalistas, tais como Japão e EUA.

 

 - Intensa exploração das riquezas chinesas pelas potências imperialistas, desde o século XIX, aliada à perda de territórios, o que acirrou o sentimento nacionalista de grande parte da população.

 

- Crise econômica reforçada pelo desemprego e pela inflação, sendo a maior parte da população rural e sofrendo efeitos do pós-guerra e da crise no campo.

 

- Disputas políticas internas, opondo o Partido Nacionalista e o Partido Comunista numa guerra civil.

 

b)

 

- A submissão da China às regras do comércio internacional em setores estratégicos da produção como telecomunicações e serviços bancários.

- A aplicação do sistema de privatização em contraposição às regras fechadas de seu sistema político e econômico.

- A aproximação da China com países africanos como Angola, Sudão e Nigéria, produtores e fornecedores de petróleo, matéria essencial ao novo impulso dado à industrialização do país.

- O aumento da parceria comercial e política chinesa não só com países africanos como também com os países componentes da OMC, com a finalidade de ampliar futuras negociações diplomáticas.

- O aumento da desigualdade de renda da população tendo em vista a alavanca do superavit comercial chinês. Tentativas de mudanças desse quadro a partir de mais investimentos em tecnologia de ponta, serviços e ampliação do consumo interno, o que pode gerar ares de tensão com relação aos países mais ricos do Ocidente

 - A relação do modelo de desenvolvimento adotado pelo país com a ideia de desenvolvimento sustentável.

 

 

(CESGRANRIO) Leia e compare os Textos I e II, acerca da atuação dos Estados Unidos na nova ordem internacional.

 

Texto I

 

“As duas principais ofensivas do novo império se estão levando a cabo no Oriente Médio muçulmano e

no nordeste asiático. Não obstante, os novos imperialistas não fizeram mais do que começar a atuar. Sua ambição não se contentará com a invasão do Iraque e com a negativa de conversar com a Coreia do Norte. Tem muito mais, em especial no Oriente Médio.”

MANN, Michael. El imperio incoherente. Barcelona: Paidós, 2004:27.

 

Texto II

 

“As intervenções militares não são mais que a ponta do iceberg imperialista. O poder do Estado hegemônico serve tipicamente para assegurar e promover os dispositivos institucionais externos e internacionais que fazem funcionar as assimetrias nas relações de intercâmbio em benefício da potência hegemônica. Assim é como se extrai efetivamente o tributo do resto do mundo.”

HARVEY, David. El nuevo imperialismo. Madrid: Akal, 2004:139.

 

A leitura comparada dos Textos I e II leva à conclusão de que o(s) Texto(s)

 

a) I contradiz o exposto no Texto II.

b) I nega parcialmente o apresentado no Texto II.

c) II complementa coerentemente as ideias do Texto I.

d) II subverte sistematicamente as informações do Texto I.

e) se referem a escalas geográficas distintas.

 

(PUCMG) Com o fim da Guerra Fria e com o avanço do processo de globalização, um conjunto de transformações vem ocorrendo nas estruturas de poder mundial. Como reflexo desse processo, algumas organizações internacionais criadas no pós-guerra, como a ONU, o FMI e o BIRD, vêm perdendo importância, enquanto outras parecem adquirir maior peso na definição das grandes questões mundiais, como o G-8, o G-20, a OMC e a OCDE. Sobre essas novas organizações, é INCORRETA a seguinte opção.

 

a) O G-8 é o grupo formado pelas sete economias mais ricas do mundo desenvolvido: Estados Unidos,

Japão, Alemanha, França, Itália, Reino Unido e Canadá, acrescido da Rússia. Teve um papel importante na discussão de medidas para o enfrentamento da recente crise econômica mundial.

b) O G-20 é o grupo das nações mais pobres do mundo, que exibem os piores indicadores econômicos e sociais. Tem tido um papel fundamental no debate de temas como o endividamento externo, a concentração mundial da riqueza e a fome.

c) A OMC (Organização Mundial do Comércio), formada por cerca de 150 nações, tem tido um papel fundamental na supervisão dos acordos comerciais, na defesa do livre-comércio e na mediação de conflitos comerciais entre os países signatários.

d) A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), é formada por 30 países membros, responsáveis por mais da metade da economia mundial. Busca promover políticas que assegurem o crescimento econômico, a melhoria da qualidade de vida nos países membros e a liberalização do comércio.

 

(UNESP) Observe a charge.

 

Igor Fuser, Geopolítica: o mundo em conflito, 2006. Adaptado.

 

A partir da observação da charge, analise as afirmações a seguir:

 

I. A China ocupará um lugar de destaque no mapa geopolítico do século XXI.

II. A ascensão chinesa, a longo prazo, não incomoda especialmente os EUA.

III. As economias chinesa e americana não são dependentes uma da outra.

IV. Os chineses não se sentem ameaçados pelos americanos, em seus direitos históricos sobre a ilha de Taiwan.

V. Os EUA temem que a expansão econômica da China acabe produzindo um aumento da capacidade militar chinesa.

 

Estão corretas apenas as afirmações:

 

a) I e IV.

b) I e III.

c) IV e V.

d) I e V.

e) II e IV.

 

(UERJ)

 

G-20 adota linha dura para combater crise

 

Grupo anuncia maior controle para o sistema financeiro Cercada de expectativas, a reunião do G-20, grupo que congrega os países mais ricos e os principais emergentes do mundo, chegou ao fim, em Londres, com o consenso da necessidade de combate aos paraísos fiscais e da criação de novas regras de fiscalização para o sistema financeiro. Além disso, os líderes concordaram, dentre várias medidas, em injetar US$ 1,1 trilhão na economia para debelar a crise.

Adaptado de http://zerohora.clicrbs.com.br

 

A passagem da década de 1980 para a de 1990 ficou marcada como um momento histórico no qual se esgotou um arranjo geopolítico e teve início uma nova ordem política internacional, cuja configuração mais clara ainda está em andamento.

 

Conforme se observa na notícia, essa nova geopolítica possui a seguinte característica marcante:

 

a) diminuição dos fluxos internacionais de capital

b) aumento do número de polos de poder mundial

c) redução das desigualdades sociais entre o Norte e o Sul

d) crescimento da probabilidade de conflitos entre países centrais e periféricos

 

(UFSM) Para o historiador britânico Eric Hobsbawm, o período que vai de 1914 - começo da Primeira Guerra Mundial - até 1991 – fim da União Soviética - apresenta uma unidade histórica que permite identificá-lo como "o breve século XX".

 

Assinale verdadeira (V) ou falsa (F) em cada afirmação a respeito da história desse período.

 

(    ) AGuerra Mundial de 1914 a 1918, marcada por tecnologias militares, como a metralhadora, a infantaria e a trincheira, foi a primeira guerra industrial da história e contribuiu para criar um mercado seguro para novas mercadorias destinadas a produzir destruição, transformando a guerra em atividade econômica completa, envolvendo interesses militares, industriais e políticos.

(    ) Após a Primeira Guerra, a crise econômica e política mundial favoreceu a emergência dos regimes nazifascistas na Europa e, especialmente na Alemanha, com a "política da manteiga e do canhão", o governo nazista promoveu o aumento da produção de alimentos e de armas, desenvolveu a indústria automobilística e equipou militar e tecnologicamente a Alemanha para mais uma guerra.

(    ) O lançamento, feito em 1945 pelos EUA, de duas bombas atômicas que devastaram as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, mais do que representar o fim da Segunda Guerra, significou o começo da Guerra Fria e a inauguração da Era Atômica, marcada sobretudo pelo desenvolvimento de tecnologias destinadas à produção de artefatos nucleares de destruição.

(    ) O fim da Guerra Fria e da política da bipolaridade não assinalou o fim da corrida armamentista e da utilização da energia nuclear para fins militares, como foi demonstrado na invasão do Iraque pelos EUA, sob o argumento de que o estado iraquiano possuía armas de destruição de massa que ameaçavam a segurança norte-americana e a paz mundial.

 

A sequência correta é

 

a) V - V - F - F.

b) F - F - V - V.

c) V - F - F - F.

d) F - V - F - V.

e) V - V - V - V.

 

(UFF) Sobre as transformações políticas do Leste Europeu, da URSS e do mundo socialista, a partir da década de 1980, é INCORRETO afirmar que:

 

a) na Polônia, o descontentamento com o caráter centralizador da URSS expressou-se no sindicato Solidariedade e na eleição presidencial do líder sindical Lech Walesa.  

b) em 1989, ocorreu a queda do muro de Berlim e a posterior unificação da Alemanha Ocidental e da Oriental.  

c) a Iugoslávia tornou-se a região politicamente mais estável do Leste Europeu após a separação da URSS, pois superou os conflitos étnicos locais.  

d) repúblicas independentes surgiram a partir do desmembramento da URSS, como a Estônia, a Lituânia e a Letônia.  

 

VESTIBULAR 2009

 

(FGV - Direito) Após os ataques de 11 de setembro, os Estados Unidos adotaram em sua política externa uma estratégia unilateral para consolidarem sua supremacia político-militar, a qual ficou conhecida como “Doutrina Bush”.

 

 

a) Explique os princípios gerais defendidos pela “Doutrina Bush”.

b) Qual objetivo geopolítico estadunidense a charge ironiza? Justifique sua resposta.

c) Quais interesses econômicos justificaram ações estadunidenses como o ataque ao

Afeganistão e a ocupação do Iraque?

 

Resolução:

 

a) Sob o pretexto de liderar uma luta sem tréguas ao terrorismo, em âmbito internacional, a “Doutrina

Bush” impulsionou e justificou a postura intervencionista da política externa dos Estados Unidos.

Inicialmente as ações mais incisivas dirigiram-se contra o governo do Talibã, do Afeganistão e contra o

regime autoritário de Saddam Hussein, no Iraque, logo, essas se estenderam a outros países que não

necessariamente opunham-se a Washington, como a Coréia do Norte e o Irã, mas entre aqueles que não se submetiam aos interesses estadunidenses mais imediatos, caso da Venezuela, Zimbábue e Sérvia.

A partir da defesa do mundo contra o terrorismo os Estados Unidos afirmaram seus interesses econômicos ante a ascenção da China, a consolidação da Europa Unificada e uma tentantiva de retomada do Japão, assim como, emergência de alguns países industria lizados do Sul, expandiram sua dominação cultural e redesenharam um novo cenário de dominação político-militar em áreas hostis.

 

b) A charge ironiza a ação dos Estados Unidos no mundo islâmico – Afeganistão e Iraque – modificada

pela luta contra o terrorismo e a que se constituiu numa ação de violência extrema, que violou direitos

internacionais, provocou a morte de civis, além de desencadear uma reação, uma resistência a essa

intervenção que tornou essas regiões ainda mais instáveis.

A ironia está no argumento americano de que “o mundo mudou depois de 11 de setembro”.

Antes dos atentados em setembro de 2001, os Estados Unidos se constituiram o maior poder econômico, cultural e militar, e isso, a despeito dos investimentos que o país estabeleceu, nos últimos anos, não sofreu alteração significativa nos últimos anos.

O mundo, na verdade, não mudou, pois continua-se a assistir a supremacia dos Estados Unidos nos âmbitos econômicos, culturais e militares. Apesar do país não conseguir, com eficiência, solucionar crises nessas áreas, muitas vezes geradas pela insatisfação que essa dominação traz a diferentes culturas e formas de organização política e social.

 

c) Vistas em seu conjunto as ações estadunidenses no Afeganistão, a partir de 2001, e no Iraque, a partir de 2003, visavam assegurar a estabilidade política e por extensão econômica, regional e ampliar a

influência de Washington sobre a região. O argumento inicial da ação no Afeganistão foi o combate ao governo do Talibã que estava por trás dos atentados de 11 de setembro de 2001.

Contra o Iraque, mais propriamente com o regime autoritário de Saddam Hussein, foi a alegação que o

país detinha e desenvolvia armas de destruição em massa.

A justificativa, de Washington para intervir no Afeganistão e no Iraque, camuflaram o real interesse

que era o de ampliar a influência do país sobre a região que encerra as maiores reservas de petróleo do

planeta, e que tem os Estados Unidos como os maiores importadores mundiais.

 

(IBMECRJ) A chamada Nova Ordem Mundial, que marcou o final do século XX, é caracterizada por uma série de importantes acontecimentos, EXCETO:

a) A queda do Muro de Berlim.

b) A implosão da União Soviética.

c) A redemocratização da Europa Oriental.

d) A reunificação da Coréia.

e) O fim da Guerra Fria.

 

(IBMECRJ) A última década do século XX foi marcada pela crise que atingiu o bloco socialista. Sobre esse processo são feitas as seguintes afirmativas:

 

I - Sob o ponto de vista econômico, a planificação é uma das características desse sistema;

II - Sob o ponto de vista político, o unipartidarismo é uma marca até hoje presente em países como Cuba;

III - Sob o ponto de vista social, a grande herança deixada pelos socialistas foi um significativo aumento das taxas de analfabetismo.

 

Assinale:

a) Se apenas a afirmativa I for correta.

b) Se apenas a afirmativa II for correta.

c) Se apenas a afirmativa III for correta.

d) Se apenas as afirmativas I e II forem corretas.

e) Se todas as três afirmativas forem corretas.

 

 

VESTIBULAR 2008

 

(UIFAL) Para responder a questão, leia o fragmeto abaixo.

 

“Em 4 de outubro de 1957, quando os soviéticos colocaram em órbita o primeiro satélite

artificial – Sputnik-1 –, o mundo vivia sob tensão constante. [...].

Hoje, a Guerra Fria não existe mais, mas o clima no espaço ainda está longe de refletir o

ambiente de interação globalizada que mudou a economia, a política e a ciência em terra firme.

Ao contrário do que acontece em outras áreas tecnológicas, o país que quiser lançar satélites por

conta própria hoje tem de aprender sozinho.

“Os americanos não querem que a tecnologia de lançadores de satélites — que pode ser

utilizada para lançar bombas — caia na mão de determinados países, mesmo que sejam amigos”,

[...].

“Mesmo quando existe um projeto envolvendo vários países, como a Estação Espacial

Internacional, a colaboração se dá mais pela divisão do trabalho do que pela transferência da

tecnologia entre os países.” [...].

Hoje, apenas EUA, União Européia, Rússia, China, Índia e Japão são capazes de colocar

satélites em órbita. Cada um aprendeu a fazê-lo sozinho.”

 

GARCIA, Rafael. 50 anos depois do Sputnik, espaço ainda vê Guerra Fria. Folha de S. Paulo, 30/09/2007.

 

O fim da Guerra Fria entre os EUA e a URSS e o novo avanço do capitalismo com a globalização mundial estabeleceram uma nova ordem geopolítica. Sobre esse assunto é correto afirmar que:

 

a) houve a eliminação das fronteiras nacionais com a fusão de países em blocos econômicos regionais e o surgimento do domínio das tecnologias de ponta pelos novos países industrializados e subdesenvolvidos.

b) surgiram áreas de livre comércio como reservas de mercado para multinacionais, disputas entre capitalismo e socialismo representadas por EUA e pela União Européia.

c) houve a divisão do mundo em Primeiro Mundo (países capitalistas desenvolvidos), Segundo Mundo (países socialistas) e Terceiro Mundo (países capitalistas subdesenvolvidos e os de economia em transição do socialismo para o capitalismo).

d) surgiram blocos econômicos regionais; novos centros de poder – como o Japão e a União Européia – e tensões entre interesses políticos e econômicos dos países desenvolvidos do Norte e subdesenvolvidos do Sul.

 

(UFSCAR) Existem controvérsias a respeito da nova ordem mundial. Para uns, ela seria uni ou monopolar; para outros, ela seria multipolar. Considere o exposto e assinale a alternativa que é indiscutivelmente correta.

 

a) O poderio militar norte-americano, sem competidores, é um argumento a favor de definição da nova ordem como multipolar.

b) A unificação européia, a recuperação econômica do Japão e a enorme expansão da China são fatores que pesam a favor do argumento da monopolaridade da nova ordem mundial.

c) O avanço da globalização fortalece a idéia de um mundo unipolar.

d) O sucesso da primeira guerra do Golfo, de 1991, sugeriu momentaneamente que os Estados Unidos poderiam desempenhar o papel de superpotência solitária e com uma estratégia unilateral.

e) O fato de alguns países – Japão, Índia, Brasil e África do Sul – pleitearem uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU é mais um indicador da monopolaridade no sistema internacional.

 

(UFSCAR) Observe o mapa.

 

 

 

A regionalização do mundo adotada nesse mapa corresponde a

 

a) um espaço descontínuo baseado inteiramente nos fluxos econômicos e político-militares.

b) um espaço contínuo baseado nos traços fisiográficos de cada área (relevo e clima, principalmente).

c) um espaço descontínuo fundamentado nas relações de poder entre Estados.

d) um espaço contínuo fundamentado em traços históricoculturais e econômicos comuns a cada área.

e) um espaço contínuo-descontínuo alicerçado na inovação tecnológica e nos recursos humanos de cada área.

 

(UNIPAM)

 

“A Guerra Fria foi um período em que a guerra era improvável, e a paz, impossível. Com essa frase, o pensador Raymond Aron definiu o período em que a opinião pública mundial acompanhou o conturbado relacionamento entre os Estados Unidos e a União Soviética.”

 

(ARBEX JÚNIOR, José. Guerra Fria: terror de estado, política e cultura. 3. ed. São Paulo: Moderna, 1997. p. 7).

 

Assinale a alternativa que NÃO caracteriza as tensões e os conflitos político-ideológicos entre norte-americanos e soviéticos no contexto da Guerra Fria.

 

a) Guerra do Vietnã.

b) Guerra da Coréia.

c) Crise dos Mísseis em Cuba.

d) Ocupação norte-americana no Afeganistão.

 

(UNIPAM)

 

 “Afinal, quem tem razão? Os conflitos mundiais na atualidade são caóticos, sem lógica, ou direcionam-se no sentido da progressiva implementação da democracia liberal em todo o globo? Ou eles são essencialmente competições econômicas, envolvendo Estados e/ou megablocos? Ou eles seriam antes de tudo choques culturais, confrontando diferentes civilizações? Ou ainda, não permaneceriam basicamente enfrentamentos militares como sempre foram, ou seja, a força bruta é que determina em última instância quem domina uma região do mundo ou todo o globo?”.

 

VESENTINI, José William. Novas Geopolíticas. São Paulo: Contexto, 2000. p.111.

 

O enunciado acima coloca-nos alguns questionamentos sobre as origens dos conflitos mundiais. A partir disso, analise as afirmativas a seguir e assinale a alternativa que condiz com sua análise.

 

1. Com a crescente interdependência entre as economias, a questão é concorrer e, ao mesmo tempo, se associar, crescer conjuntamente, pois a crise em um lugar pode afetar outros. Por esse motivo, a disputa atual não mais consistiria em produzir armamentos ou anexação de novos territórios (seja militar ou ideologicamente, como na época da Guerra Fria), e sim produzir mais e melhores bens e serviços, ampliando a produtividade, o nível tecnológico e educacional e o padrão de consumo de toda a população.

2. Inexistem relações no papel da mídia com a política internacional, pelo fato de as sociedades

avançadas pouco utilizarem os meios de comunicação como um instrumento de estratégia militar.

3. Nada indica que a guerra militar acabou ou sequer que ficou menos freqüente no mundo pós Guerra Fria. Mas existem inúmeras evidências que sinalizam mudanças nos seus objetivos e na sua estratégia, como concepção de inimigo, armamentos, preparação dos soldados e logística.

4. No mundo pós Guerra Fria, os conflitos não são mais ideológicos e nem mesmo econômicos, mas, fundamentalmente, culturais. A exemplo disso, podem-se destacar os princípios da civilização ocidental contra a islâmica, e esta contra a hinduísta.

 

Assinale a alternativa considerada VERDADEIRA.

 

a) Apenas as afirmativas 1, 2 e 4 estão corretas.

b) Apenas a afirmativa 3 está correta.

c) Apenas a afirmativa 4 está correta.

d) Todas as afirmativas estão corretas.

 

(UFLA) Em um rap contra o terrorismo, um “George Bush” virtual assume que o que faz, na luta contra o terror, é correto e que ele próprio irá esmagar os insurgentes. Num trecho da música, “Bush” afirma: “Veja só o Iraque. Já disse que os libertei? Vocês todos podem me agradecer por isso.”

 

Marque a alternativa CORRETA sobre a alusão que a letra da música faz ao momento político vivenciado pelo Iraque.

 

a) Ao fim do regime do Taleban, que, a partir da intolerância religiosa, governava todos os países

do Oriente Médio.

b) Ao conflito da Caxemira, devido às disputas pelo controle do petróleo nessa região iraquiana.

c) À derrubada de Sadan Hussein após a invasão das forças americanas, sem a permissão da ONU.

d) À invasão da Península do Sinai pelo Iraque, que passou a controlar as armas químicas e biológicas

produzidas a partir de então.

 

(FALM) A foto abaixo retrata a derrubada de uma estátua representando Saddam Hussein em Bagdá, quando da invasão do Iraque pelas tropas dos EUA. Em relação ao recente conflito naquele país, é

CORRETO afirmar que:

 

 

a) O Iraque era governado por um regime fundamentalista, cujas lideranças políticas confundiam-se com as religiosas e tinham em Hussein seu guia espiritual.

b) A invasão do Iraque ocorreu após deliberação da ONU, que assim procedeu em represália ao uso de armas de destruição em massa pelo regime iraquiano contra o Ocidente.

c) Os EUA invadiram o Iraque ao seu tradicional aliado no Oriente Médio, o Irã, país que mantém uma disputa territorial com seu vizinho (Guerra Irã-Iraque) desde o início da década de 80 do século XX.

d) Representa uma das iniciativas do atual governo estadunidense na chamada “Guerra contra o Terror”, ofensiva militar e política que abalou a importância da ONU e do direito internacional.

e) Teve pouco impacto interno nos EUA, uma vez que não foi e não tem sido debatido pelas lideranças políticas daquele país.

 

(ESPM) Leia os textos e responda:

 

Sob rígidas sanções da ONU por conta de seu programa nuclear, o governo do país anunciou que atingiu 3.000 centrífugas para enriquecimento de urânio. O país afirma que seu programa visa produzir energia, mas EUA e União Européia temem que o país busque a bomba atômica. Relatório emitido

pela AIEA, a Agência Nuclear da ONU menciona que o país tem 2.000 centrífugas e outras 650 em fase de teste. Mergulhado numa grave crise econômica o país aceitou desativar todo o seu programa nuclear até o fim deste ano, informou o principal negociador nuclear dos EUA e secretário assistente de Estado, Christopher Hill, após negociações em Genebra. Em troca o país receberá compensação política e

econômica.

Folha de São Paulo, 03/09/2007

 

Os textos referem-se respectivamente a dois países cujos programas nucleares preocupam a comunidade internacional.

 

Os países são:

 

a) Irã e Paquistão.

b) Irã e Coréia do Norte.

c) Coréia do Norte e Paquistão.

d) Coréia do Norte e Turquia.

e) Paquistão e Síria.

 

(FUVEST)

 

 

Segundo estimativas, após 11 de setembro de 2001, quando ocorreram os atentados às Torres Gêmeas e ao Pentágono, os EUA aumentaram em cerca de 20% sua presença militar ao redor do mundo. Estima-se também que por volta de 300 mil soldados estejam em bases militares americanas em mais de 140 países.

 

Considerando o mapa acima,

 

a) identifique os locais indicados pelos números 1 e 2.

 

b) cite e explique ao menos um motivo para a manutenção, pelos EUA, de bases militares em cada um dos locais citados no item a.

 

Resposta

 

a) As bases destacadas localizam-se (I) no Havaí, estado da federação norte-americana situado no Pacífico, centro setentrional; (II) no Bahrein, arquipélago situado no Golfo Pérsico.

 

b) No Havaí, o interesse estratégico dos EUA despertou na segunda metade do século XIX, quando o país projetou-se para o oeste, em direção ao Oceano Pacífico e à costa oriental da Ásia. Esse interesse

estratégico ampliou-se com a oposição do Japão imperial, na primeira metade do século XX, e foi

intensificado com a Guerra Fria, entre 1945 e 1991, com a Guerra da Coréia e a do Vietnã. O interesse

estratégico-militar atual deve-se ao atrito com o regime norte-coreano e ao potencial confronto com

a China.

No Bahrein, como no Golfo Pérsico de um modo geral, o interesse estratégico-militar dos EUA está

diretamente ligado ao petróleo. A região do Golfo Pérsico, que detém as maiores reservas mundiais do

produto, é fonte de tensão desde o fim da década de 1970, quando houve a Revolução Islâmica no Irã, em 1979, e posteriormente os conflitos envolvendo Irã, Iraque e Kuwait.

 

(UFPI) Desde a queda do muro de Berlim, em 1989, o mundo passou a conviver com o surgimento de uma nova ordem mundial, diferente daquela que existiu no período da Guerra Fria.

 

Sobre essa nova ordem mundial, é correto afirmar:

 

a) A capacidade tecnológica, a produtividade e a competitividade fazem parte do novo padrão de poder da Rússia, que se mantém como potência no contexto atual.

b) Com o fim da Guerra Fria, a nova ordem mundial é caracterizada pela emergência de um mundo multipolar, cujo padrão de poder é essencialmente econômico.

c) A globalização corresponde à fase de expansão dos capitais, no atual período técnico-científico do

capitalismo, trazendo como conseqüência o desaquecimento das desigualdades sociais.

d) O surgimento dos megablocos econômicos significa que, em maior ou menor grau, as fronteiras econômicas entre os países não estão sendo diluídas.

e) A União Européia forma um dos mercados comuns, sendo antigo o seu processo integracionista, no entanto é menos expressivo do que em outros blocos econômicos.

 

Obs: A Alternativa b (gabarito oficial) é discutível, pois não é correto afirmar que o padrão de poder é essencialmente econômico. No entanto, por exclusão das demais é a melhor alternativa.

 

(UNIFOR) Nas últimas décadas do século XX instaurou-se uma Nova Ordem Mundial que é marcada por novos arranjos espaciais.

 

Analise as afirmações a seguir.

 

I. Os países centrais do sistema capitalista foram os grandes vitoriosos com o fim da Guerra Fria.

II. Os países que compõem a OTAN passaram a ser centros de poder econômico e financeiro.

III. Um dos objetivos dos Estados Unidos no novo cenário é proteger seus interesses em várias partes do mundo, principalmente, no Oriente Médio e América Latina.

IV. O Japão e a Alemanha tornaram-se mais poderosos tanto no setor econômico como no militar.

V. A economia mundial está assentada sobre um tripé no qual um dos pontos de sustentação é a União

Européia.

 

Está correto SOMENTE o que se afirma em

 

a) I, II e III.

b) I, II e V.

c) I, III e V.

d) II, III e IV.

e) III, IV e V.

 

(UFF)

 

 

Sobre as circunstâncias geopolíticas do mundo contemporâneo, faça uma análise comparativa da  charge com o texto.

 

Marque a opção que permite uma conclusão a partir daquela análise.

 

a) O texto contradiz o diálogo da charge, pois os atentados terroristas nada têm a ver com o desempenho do atual governo venezuelano.

b) O texto reforça o argumento apresentado na charge, uma vez que interesses geopolíticos e geoeconômicos estão freqüentemente interligados.

(c) O texto nega a idéia central da charge, posto que a disputa entre moedas é considerada o fator de confronto entre os países, ao invés do petróleo.

d) A charge amplia a mensagem do texto, ao isolar a moral e a justiça como as razões norte-americanas contra o governo atual de Caracas.

e) A charge e o texto justificam o argumento do enfraquecimento das ações geopolíticas estadunidenses nas diversas regiões do mundo.

 

VESTIBULAR 2007

 

(CÁSPER) Leia as notícias a seguir com atenção:

 

“11 de setembro de 1973. Apoiada e possivelmente subordinada pela CIA, a maioria do exército e da polícia subleva-se. O governo de Allende é derrubado” (TV Cultura, Alô Escola, A Queda de Allende).

 

“Depois de 11 de setembro, a América se tornou mais unilateral, mais isolada e menos democrática”. (Folha de São Paulo, 2002).

 

As emblemáticas datas de 11 de setembro citadas nos dois trechos acima correspondem, respectivamente, a duas situações abaixo:

 

a) O auge e o declínio da ordem bipolar chamada Guerra Fria.

b) A expansão e a queda do poder unipolar dos Estados Unidos da América.

c) Dois momentos de comprovação da existência de uma ordem unipolar.

d) A tentativa de colonização do Chile e o isolamento internacional dos Estados Unidos da América.

e) A ordem bipolar da Guerra Fria e a busca recente da unipolaridade estadunidense.

 

(UFAM) Na passagem da década de 80 para a de 90, com o final da oposição entre o socialismo e o capitalismo, emergiram conflitos de interesse fundamentalmente econômico entre países capitalistas desenvolvidos e países capitalistas subdesenvolvidos. Trata-se da oposição:

 

a) Leste e Oeste                      

b) Norte e Sul

c) Ocidente e Oriente             

d) Bipolar

e) Não-alinhada

 

(UFG) Os ataques de 11 de setembro introduziram um grau de organização e uma capacidade de destruição que não existiam nos atentados terroristas. O que nos deixa com a sensação de estarmos menos seguros é a consciência de que um pequeno grupo de terroristas pode infligir danos enormes  sem que nada possa nos alertar para o perigo. 

VEJA. São Paulo, edição 1972, ano 39, n. 35, 6 set. 2006. p.100. [Adaptado]. 

 

Com os atentados de 2001 e o impacto psicológico provocado sobre a população norteamericana e mundial, o governo Bush veiculou um discurso no qual a nação norte-americana emergiu como a defensora dos valores do Ocidente diante do terrorismo. Explique uma ação estadunidense que revele a orientação dessa postura política.

 

Resposta:

 

Quatro opções de respostas possíveis.

 

- Os EUA reinterpretaram o conceito de “guerra preventiva”, estabelecendo que, quando o Ocidente encontrar-se sob ameaça, a intervenção política e militar norte-americana poderia ocorrer em qualquer “lugar do mundo”.

- A invasão do Iraque justificou-se pelo argumento do combate ao potencial uso de armas químicas de destruição em massa. Essa ação foi reforçada pelo discurso da defesa da democracia ocidental.

- A invasão do Afeganistão tinha o objetivo de combater a atividade terrorista, organizada por Bin

Laden.

- Nos Estados Unidos, o medo provocado pela utilização do terror redefiniu alguns direitos civis, restringindo-os (Ato Patriótico).

 

ATUALIZADO EM 10/04/2013