Página inicial
Sala de leitura
Enem
Críticas e sugestões
Eventos
Links paratodos
videos
 


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E CONHEÇA ALGUNS VIDEOS DIDÁTICOS CPTEC.INPE


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E CONHEÇA JOGO – QUEBRA CABEÇA COM MAPA-MÚNDI FÍSICO


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E CONHEÇA MAPA INTERATIVO DAS EMISSÕES DE CO2 NOS DIFERENTES PAÍSES DO MUNDO E DADOS DEMOGRÁFICOS.


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E JOGUE COM O MAPA DA EUROPA


CLIQUE NA IMAGEM E LEIA AS MANCHETES DE HOJE DOS JORNAIS DE TODO O
MUNDO.


VEJA O QUANTO VOCÊ CONHECE SOBRE CONTINENTES E OCEANOS


2 JOGOS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL


CLIQUE NA IMAGEM E CONHEÇA O MAPA-MÚNDI INTERATIVO

site www.geocienciasnomapa.com.br
CLIQUE NA IMAGEM E CONHEÇA UM SERVIÇO DE LOCALIZAÇÃO ESPACIAL DE TESES E DISSERTAÇÕES EM GEOCIÊNCIAS

 

CAPÍTULO 6 - Relevo e solo – formação e classificação

 

VESTIBULAR 2012

 

(UNESP) No mapa, estão traçados os cortes 1–2 e 3–4.

Indique o corte que identifica o perfil topográfico representado e mencione três características geográficas encontradas ao longo desse perfil.

Resolução:

O perfil topográfico corresponde ao corte 3-4. O perfil tem início no Pantanal, bacia do Paraguai, onde a pecuária e o ecoturismo são os destaque econômicos. Em seguida, atravessa o domínio do cerrado, região impactada nas últimas décadas pelo agronegócio e agricultura moderna. Atravessa também a Depressão Sanfranciscana com vasta extensão de clima semi-árido, e atinge o Recôncavo Baiano área urbanizada e importante polo industrial do nordeste brasileiro.

(UFRN) Em uma aula de Geografia sobre a dinâmica da população brasileira, o professor apresentou dados do Censo Demográfico 2010. Segundo esses dados, o país atingiu um total de 190.755.799 habitantes, que se encontram distribuídos pelos seus 8.514.876,599 km2, apresentando uma densidade demográfica média de 22,43hab./km2. Para ilustrar as informações, o professor mostrou aos alunos os mapas a seguir:


No decorrer da aula, a exposição sobre a dinâmica da população brasileira e a leitura dos mapas referentes à densidade demográfica e ao relevo do Brasil por regiões permitiu ao aluno concluir que

a) a população encontra-se distribuída de forma desigual pelo território, sendo a Região Sudeste, onde predominam planaltos, a que apresenta maior densidade demográfica, devido, entre outros fatores, ao dinamismo econômico e à capacidade de atrair migrantes.
b) os maiores índices de concentração da população ocorrem nas planícies localizadas no interior, onde se desenvolvem atividades do agronegócio que resultam, entre outros fatores, do processo de modernização agrícola.
c) a distribuição da população pelo território ocorre de forma desigual, sendo a Região Nordeste, onde predominam planícies, a que apresenta menor densidade demográfica, devido, entre outros fatores, ao processo de ocupação desde o Período Colonial.
d) os menores índices de concentração populacional ocorrem nos planaltos localizados na Zona Costeira, onde o processo de ocupação e o desenvolvimento econômico foram dificultados, entre outros fatores, pelas elevadas altitudes.

(UFRN) O Rio Grande do Norte apresenta um elevado potencial turístico, principalmente em decorrência das belezas de sua paisagem litorânea, destacando-se algumas formas do relevo cuja configuração está associada a processos erosivos desencadeados pela ação de diferentes agentes.

Observe a figura.

Disponível em: www.viagem.uol.com.br/ultnot/2011/08/29/nisia-floresta- tem-historia-gastronomia-e-belezas-naturais.jhtm >.
Acesso em: 29 ago. 2011.

Considerando os elementos da paisagem litorânea expostos na Figura, pode-se afirmar que esta corresponde a uma

a) falésia,         constituída        pela deposição         de     areia paralelamente à costa, em decorrência da erosão eólica.
b)restinga, formada pela consolidação da areia de antigas praias, em decorrência da erosão marinha.
c) falésia, formada a partir de processos de erosão marinha, que originam paredões escarpados.
d) restinga, constituída a partir de processos de erosão eólica, que formam costas íngremes.

(UFJF) Observe as imagens a seguir que retratam os efeitos que chuvas torrenciais provocaram na região serrana do estado do Rio de Janeiro, em 2011.

FJF2012-geo-01
Disponível em: <http://www.google.com.br/images>. Acesso em: 26 set. 2011.


a) As chuvas fortes (e devastadoras) de verão não vão deixar de acontecer. Elas fazem parte do ciclo natural do clima e, com o aquecimento global, deverão ficar ainda mais intensas.
Nessa área, como a ação humana potencializou a ação da natureza?

Resposta:

A atuação das águas pluviais (das chuvas) e fluviais (dos rios) costuma ser intensa nas regiões de clima tropical.
No caso das águas pluviais, é comum nas áreas com relevo em declive formarem-se as enxurradas que, dependendo da intensidade das chuvas e, principalmente, de sua duração, podem causar deslizamentos de terra em encostas, particularmente naquelas onde a vegetação foi retirada. Esse processo erosivo é comum nos trechos de serras, em diversas regiões do espaço brasileiro, no período das chuvas.
Nas encostas dos espaços urbanos que são ocupadas por moradias, a erosão pluvial é intensificada, provocando deslizamentos que acarretam a destruição das casas e até a morte de pessoas que viviam nesses locais, muitos deles considerados áreas de risco.

(UFPE) Examine, com atenção, a fotografia a seguir.

Sobre os elementos paisagísticos observados, é correto afirmar que:
(     )  a área fotografada, por não apresentar floresta de galeria, possui uma nítida tendência a que se verifiquem intensos processos de erosão areolar, repercutindo, assim, nos processos de assoreamento.  
(     )  uma das vertentes do vale se mostra menos sujeita aos processos erosivos em face do revestimento biológico mais denso; é uma área em relativo equilíbrio morfodinâmico.  
(     )  a estrutura subsuperficial dessa paisagem contém marcas evidentes de um tectonismo plástico, responsável por um forte enrugamento do terreno onde se instalou o vale fluvial.  
(     )  o vale fluvial que se identifica na paisagem não possui nenhuma relação com a litomassa da área, fato muito frequente em ambientes quentes e úmidos, onde o escoamento fluvial é intenso.  
(     )  a forma do vale fluvial, observada na fotografia, permite afirmar que ele é totalmente assimétrico e não se encontra submetido a processos de erosão lateral, pois a existência de uma falha, no lado direito, impede a ação das águas pluviais.  

Resposta:

 F - V - F - F - F.

(FUVEST)  Do ponto de vista tectônico, núcleos rochosos mais antigos, em áreas continentais mais interiorizadas, tendem a ser os mais estáveis, ou seja, menos sujeitos a abalos sísmicos e deformações. Em termos geomorfológicos, a maior estabilidade tectônica dessas áreas faz com que elas apresentem uma forte tendência à ocorrência, ao longo do tempo geológico, de um processo de

a) aplainamento das formas de relevo, decorrente do intemperismo e da erosão.   
b) formação de depressões absolutas, gerada por acomodação de blocos rochosos.   
c) formação de canyons, decorrente de intensa erosão eólica.   
d) produção de desníveis topográficos acentuados, resultante da contínua sedimentação dos rios.   
e) geração de relevo serrano, associada a fatores climáticos ligados à glaciação.   

(UECE) Quando o escoamento fluvial adquire maior velocidade em face ao aumento do declive do perfil longitudinal do rio, pode-se afirmar corretamente que
 
a) o rio vai acumular sedimentos por perda de energia.
b) haverá maior escavamento do vale por erosão.
c) o leito fluvial será alargado em face do aumento de sedimentação.
d) as planícies fluviais serão progressivamente alargadas.

(UEL) O relevo corresponde ao conjunto de formas apresentadas na superfície terrestre. Essas formas são definidas pela estrutura geológica combinada com as ações da dinâmica interna e externa da Terra. Em 1985, o professor Jurandyr Ross elaborou uma classificação do relevo brasileiro com base em três fatores geomorfológicos: 1. morfoestrutura – origem geológica; 2. paleoclima – ação de antigos agentes climáticos; 3. morfoclima – influência dos atuais agentes climáticos. Essa classificação associa o passado geológico e o passado climático com os atuais agentes escultores do relevo.

Com base nesta associação, o professor Ross identificou três tipos de relevo.

a) Indique cada tipo de relevo e descreva suas características.
b) De que forma essas características influenciam a vida nas cidades?

Resolução oficial:

a)

Planaltos: porções residuais salientes do relevo, que oferecem resistência ao processo erosivo. Planícies: superfícies essencialmente planas nas quais os processos de sedimentação superam os de erosão. Depressão: área rebaixada por erosão que circunda as bordas das bacias sedimentares, interpondo-se entre estas e os maciços cristalinos.
b)

O relevo influencia a vida nas cidades, pois se estas estão em fundos de vale, por exemplo, correm o risco de inundações; se estão em declives, desmoronamentos. Deve-se ter uma gestão municipal levando em conta a dinâmica do relevo.

SOLO

(IFMT) “A erosão acelerada não é uma coisa nova, ela acompanha a agricultura desde o seu início, há 4.000 ou 5.000 anos a.C., nos vales do Eufrates, Tigre e Nilo, onde, presume-se, tenha sido o berço da agricultura.”

(CONCIANI, Wilson. Processos erosivos: conceitos e ações de controle. Cuiabá: Editora Cefet-MT, 2008. p. 11.)

Mesmo que a erosão seja um acontecimento antigo, como citado acima, o tema é sempre atual, trazendo muitos transtornos para as zonas rural e urbana. Sobre a erosão, suas causas e consequências, é correto afirmar que:

a) é caracterizada pela destruição e transformação de rochas pela ação de agentes que modelam a superfície terrestre, através dos fatores endógenos (clima, rios, correntes marítimas, enxurradas) e de fatores exógenos (animais, homens e vulcanismos).
b) nas encostas, as águas superficiais escorrem e formam as ravinas ou voçorocas com sulcos laterais inclinados, entretanto só provocam efeitos na superfície dos solos e são facilmente controladas pela ação antrópica.
c) é parte do processo de degradação do solo, provocando o acúmulo de metais pesados, lixiviação e diminuição de nutrientes; só ocorre com a intervenção do homem, tornando-se um dos mais sérios problemas ecológicos do planeta.
d) a ação do intemperismo físico e químico e das cheias e inundações compensam o material retirado pela erosão, com formações de cordões arenosos e praias nos rios e no litoral.
e) a ação da água como agente de erosão depende da quantidade que cai sobre o solo e da maior ou menor capacidade de infiltração que este solo oferece. A erosão provocada pelo escoamento superficial recebe o nome de erosão laminar ou em lençol.

(UFRN) Um agricultor adquiriu dez hectares de terra para práticas agrícolas. A propriedade, atravessada por um rio perene, apresenta solos de boa fertilidade. Todavia, predomina um relevo de médias altitudes com declividade acentuada. Preocupado com a conservação do solo, o agricultor consultou um engenheiro agrônomo. Este recomendou arar e semear o solo seguindo as cotas altimétricas do relevo, o que reduz a velocidade do escoamento superficial da água, os processos erosivos e a perda de solo agricultável. A técnica de conservação do solo recomendada pelo engenheiro agrônomo denomina-se

a) curvas de nível.
b) terraceamento.
c) associação de culturas.
d) reflorestamento.

(UFBA) Apesar da mecanização e do avanço tecnológico, as atividades agrícolas estão sujeitas
à influência de fatores naturais, tais como: clima, relevo e solo.

A partir dessas considerações, da ilustração e dos conhecimentos sobre a relação meio ambiente e as atividades agrícolas,

a)apresente duas características fundamentais para que os solos sejam considerados de boa potencialidade agrícola, dando dois exemplos brasileiros e localizando-os;

b)indique um problema que a atividade agrícola enfrenta no solo do cerrado brasileiro e aponte uma consequência que a tecnologia imprime nesse ambiente;

Respostas:

a)

• Os solos considerados de boa potencialidade agrícola são aqueles mais profundos, bem drenados, com horizontes bem definidos, localizados em locais de topografia plana ou levemente ondulada. A associação da qualidade do solo com a topografia plana favorece a mecanização.
• Exemplos: - solos de massapê encontrados na Zona da Mata do Nordeste brasileiro. - solos aluviais – são marginais aos rios e excelentes para as culturas irrigadas. - solos de terra roxa, extremamente férteis, predominantes nos estados de São Paulo e
Paraná.

b)

•Problemas enfrentados: dentre outros, a exigência de utilização maciça de corretivos e fertilizantes porque são solos muito arenosos (latossolos) que se instalaram em terrenos planos, deficientes em nutrientes, porém ricos em ferro e alumínio, daí os solos determinarem a incidência de plantas com aparência seca entre os arbustos esparsos e gramíneas.
• Consequência: uso excessivo de fertilizantes traz ameaça ao equilíbrio ambiental por conterem substâncias tóxicas nocivas aos seres humanos: poluição dos aquíferos, dos solos e dos cultivos.

c)

Os solos mais férteis dos vales fluviais são encontrados em ambientes úmidos, nas áreas marginais aos cursos d’água. São mais espessos e ricos em aluviões e excelentes para as culturas irrigadas. As várzeas, portanto, são áreas onde os solos podem ser periodicamente inundados pelas águas dos rios.

(UNICAMP) Ao considerar a influência da infiltração da água no solo e o escoamento superficial em topos e encostas, é correto afirmar que
a) a maior infiltração e o menor escoamento superficial retardam o processo de intemperismo físico e aceleram a erosão.
b) a menor infiltração e o menor escoamento superficial inibem a erosão e favorecem o intemperismo químico.
c) a menor infiltração e o maior escoamento superficial aceleram o intemperismo físico e químico e retardam o processo de erosão.
d) a infiltração e o escoamento superficial aceleram, respectivamente, os processos de intemperismo químico e de erosão.

(UECE) Tratando-se das condições geoambientais e da ocupação do semiárido brasileiro, pode-se afirmar que a desertificação é um processo que conduz à degradação irreversível dos solos e dos demais recursos naturais renováveis.

Sobre o processo em pauta, assinale a opção que contém a afirmação falsa.
a) A desertificação tem afetado, principalmente, a área extensivamente recoberta por caatinga em solos rasos de tipos variados.
b) Com a expansão do processo de desertificação, tem ocorrido a desorganização dos sistemas produtivos como a agropecuária e o extrativismo vegetal.
c) A desertificação tem afetado, indistintamente, todos os grandes domínios naturais do Nordeste brasileiro.
d) A desertificação é própria dos climas secos, semiáridos e subúmidos secos.

 

VESTIBULAR 2011

 

RELEVO

 

(UNIOESTE) O relevo apresenta grande diversidade de formas que se manifestam, ao longo do tempo e do espaço, de modo diferenciado devido às combinações e interferências dos demais componentes da paisagem. Sobre o texto, as formas de relevo, as estruturas, os processos e as relações que  governam a dinâmica da paisagem, assinale a alternativa INCORRETA.

 

a) Nas regiões mais estáveis das placas tectônicas, as formas de relevo geralmente são mais suaves, resultantes de longos períodos de erosão e sedimentação.

b) A ação das águas pluviais e fluviais é marcante nas regiões de climas tropicais quentes e úmidos, conferindo ao relevo formas arredondadas ou convexizadas.

c) As formas de relevo esculpidas nas grandes unidades estruturais, como as cadeias de montanhas, os escudos cristalinos e as bacias sedimentares, resultam da ação de um conjunto de processos externos, quais sejam: o intemperismo, a erosão, a sedimentação e o vulcanismo.

d) O relevo terrestre é resultado da ação de forças internas e externas ao longo do tempo. As forças internas, também designadas como endógenas, são aquelas condicionadas pela energia armazenada

no interior do planeta e responsáveis pelo tectonismo e vulcanismo.

e) Existe uma relação estreita entre as formas do relevo, os solos, a litologia e o tipo climático atuante nas diferentes regiões do território brasileiro.

 

(UEPI) A fotografia a seguir mostra uma rede de drenagem em determinada região brasileira.

Observe- a.

 

 

Esse tipo de hidrografia, pelas características observadas, é tipica do seguinte tipo de relevo:

 

a) paisagens geomorfológicas fluviais apalachianas.

b) planaltos cristalinos.

c) cuestas flúvio-lacustrinas.

d) planicies fluviais.

e) maciços residuais.

 

(UENP)

 

Description: geobr%20relevo%20classificacao%20de%20aziz

 

I. A classificação do relevo brasileiro, de Aziz Ab Saber, levou em consideração os processos morfoclimáticos responsáveis pela dinâmica atual e pretérita do relevo; o título da sua classificação é

Domínios Morfoclimáticos do Brasil.

II. As principais planícies do Brasil, evidenciadas na classificação de Aziz Ab Saber, são a Amazônica, a do Pantanal e a Costeira.

III. A classificação do relevo brasileiro, de Aroldo de Azevedo, em bacias sedimentares e planaltos  cristalinos, serviu de referência para a classificação de Ab Saber.

IV. O Planalto das Guianas consiste na principal região de nascente dos rios afluentes da margem direita do rio Amazonas, que vão desaguar na Ilha de Marajó.

 

Estão corretas:

 

a) apenas I e II

b) apenas II e III

c) apenas III e IV

d) apenas I e IV

e) todas as assertivas

 

(PUC-PR-CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA) Nos primeiros meses de 2010, as chuvas castigaram o Rio de Janeiro. Foram chuvas intensas que provocaram deslizamentos de encostas, soterramentos de casas, deixando muitos  desabrigados, feridos e também mortos. Isso ocorreuporque:

 

a) A região serrana do Rio de Janeiro tem um clima subtropical cuja concentração das precipitações ocorre no verão, o que tornou os solos mais frágeis à ocupação.

b) As cidades da região serrana do Sudeste têm longa experiência de ocupação das encostas, com planos de ocupação, planejamento urbano, que minimizaram os impactos ambientais e sociais.

c) A grande quantidade de chuvas em curto período de tempo encharcou os solos, e a rede de drenagem do Rio Doce não suportou o volume de água, causando o transbordamento para além das margens e ocupando a planície de inundação.

d) As encostas são formadas por rochas sedimentares (arenitos) que não suportaram o impacto das precipitações provocando os deslizamentos. Aliado a esse fator geológico, o clima tropical de altitude, que se caracteriza pelas chuvas intensas de verão, a cada ano também provoca deslizamentos das encostas.

e) A configuração geográfica da região serrana é formada por encostas com declividades acentuadas. Esse fator mais as movimentação de solos devido às elevadas precipitações, aliadas às ocupações urbanas (muitas vezes irregulares), acabaram provocando uma tragédia.

 

(UECE) Às áreas planas oriundas da combinação de processos de deposição fluvial e marinha, geralmente sujeitas a inundações periódicas, sendo revestidas por mangues, dá-se o nome de

 

a) planície fluvial.

b) planície flúvio-lacustre.

c) planície flúvio-marinha.

d) planície de erosão.

 

(UFRN) No Brasil, a ocupação e a exploração do território têm ocorrido de formas diferenciadas, ocasionando distintos processos de degradação ambiental.

 

No mapa estão representadas as áreas 1 e 2, que vêm sendo afetadas por problemas ambientais relacionados às formas de ocupação e exploração do território brasileiro.

 

 

Do ponto de vista da ocupação e exploração do território brasileiro, destaca-se como um grave problema ambiental,

 

a) da área 1, o deslizamento de encostas, decorrente da ocupação desordenada do solo urbano.

b) da área 1, a poluição dos rios, em função da deposição de dejetos provenientes da exploração dos garimpos.

c) da área 2, a desertificação, pela inadequada exploração agropecuária.

d) da área 2, a poluição do solo, devido à concentração industrial.

 

(UEP) Os processos geomorfológicos internos ou exógenos deixam sempre impressas de sua atuação. Eles desenvolvem, inclusive, um conjunto de feições de relevo característico. Esse fato reveste-se de uma particular importância Geologia etc, volta-se à análise de ambiena fotografia reproduzida a seguir e assinale, com base nas evidências morfológicas, o processo responsável pela elaboração da paisagem visualizada em primeiro plano.

 

a) Erosão eólica.

b) Erosão glacial.

c) Tectonismo ruptural.

d) Neotectonismo plástico.

e) Sedimentação fluvial.

 

(UEPB) A figura e seus conhecimentos sobre o tema levam à reflexão de que:

 

 

I - Em áreas de grande expansão urbana, os problemas erosivos tornam-se uma ameaça à população que vive em habitações urbanas informais, ou seja, improvisadas e inacabadas.

II - Em muitas cidades brasileiras sua expansão avança para terrenos topograficamente mais inclinados e geologicamente instáveis. É o caso de obras efetuadas nas vertentes dos morros, ou seja, em

áreas extremamente suscetíveis à erosão pluvial.

III - Na ocupação urbana nas áreas de risco, as consequências são desastrosas principalmente para a população de baixa renda. O material que escorrega com o deslize de terras provoca o assoreamento dos rios, córregos e bueiros, contribuindo para as enchentes urbanas, catástrofes irreparáveis presentes em muitas cidades brasileiras, como o caso de Angra dos Reis e recentemente nos estados de Pernambuco e Alagoas.

 

Está(ão) correta(s):

 

a) Apenas a proposição I

b) Apenas as proposições I e II

c) Apenas as proposições II e III

d) Apenas as proposições I e III

e) Todas as proposições

 

(UNESP) Euclides da Cunha em Os Sertões descreve a campanha de Canudos. No esboço geológico do Sertão de Canudos, feito por ele, é possível distinguir a região.

 

 

 

 

 

 

ESBOÇO GEOLÓGICO

 

(Euclides da Cunha, 1866 – 1909. Os Sertões, cópia de Alfredo Aquino, 1979. Adaptado.)

 

Em seu livro, abordava e enfatizava os elementos geográficos que dificultavam as rotas dos que se dirigiam para Canudos.

 

A descrição refere-se

 

a) à Depressão Sertaneja e Sanfranciscana na região nordestina, no estado da Bahia, da caatinga, da bacia hidrográfica do rio São Francisco, de clima nordestino – semiárido.

b) ao Planalto Arenítico-Basáltico na região Sul, no estado de Santa Catarina, da vegetação de campos, da bacia hidrográfica do rio Paraná, de clima de altitude – tropical de altitude.

c) ao Planalto das Guianas na região Nordeste, da caatinga, da bacia hidrográfica do rio São Francisco e bacias secundárias, de clima equatorial.

d) ao Planalto Atlântico na região Sudeste, da mata atlântica, da bacia hidrográfica do rio Paraná e bacias secundárias, de clima árido.

e) ao Planalto Central Brasileiro na região Norte, da bacia hidrográfica do rio Tocantins, da vegetação de campos, de clima de altitude – tropical de altitude.

 

(UNICAMP) Em 1902 os paulistas organizam o primeiro campeonato de futebol no Brasil. No mesmo ano, surgem os primeiros campos de várzea, que logo se espalham pelos bairros operários, e já em 1908/1910, a várzea paulistana congregava vários e concorridos campeonatos, de forma que São Paulo não é apenas pioneira nacional no futebol “oficial”, mas também, e sobretudo, no “futebol popular”. A retificação dos rios Pinheiros e Tietê, a partir dos anos 1950, eliminou da paisagem urbana inúmeros campos de várzea, provavelmente mais de uma centena.

(Adaptado de G.M. Jesus, “Várzeas, operários e futebol: uma outra Geografia”. Geographia. Rio de Janeiro, v. 4, n. 8, p. 84-92, 2002.)

 

Várzea é uma forma geomorfológica associada às margens de rios caracterizadas pela topografia plana (o que facilita o uso como campos de futebol) e

 

a) sujeita a inundações periódicas anuais, quando ocorre a deposição de sedimentos finos. Está posicionada entre o terraço e o rio.

b) sujeita a inundações apenas em anos muito chuvosos, quando ocorre a deposição de sedimentos grossos. Está posicionada entre o terraço e o rio.

c) sujeita a inundações periódicas anuais, quando ocorre a deposição de sedimentos finos. Está posicionada entre a vertente e o terraço.

d) sujeita a inundações apenas em anos muito chuvosos, quando ocorre a deposição de sedimentos finos. Está posicionada entre a vertente e o terraço.

 

(FUVEST) Esta foto ilustra uma das formas do relevo brasileiro, que são as chapadas.

 

 

É correto afirmar que essa forma de relevo está

a) distribuída pelas regiões Norte e Centro-Oeste, em terrenos cristalinos, geralmente moldados pela ação do vento.

b) localizada no litoral da região Sul e decorre, em geral, da ação destrutiva da água do mar sobre rochas sedimentares.

c) concentrada no interior das regiões Sul e Sudeste e formou-se, na maior parte dos casos, a partir do intemperismo de rochas cristalinas.

d) restrita a trechos do litoral Norte-Nordeste, sendo resultante, sobretudo, da ação modeladora da chuva, em terrenos cristalinos.

e) presente nas regiões Centro-Oeste e Nordeste, tendo sua formação associada, principalmente, a processos erosivos em planaltos sedimentares.

 

SOLO

 

(UECE) Rotação de culturas é uma técnica agrícola de conservação que visa diminuir a exaustão do solo. Isto é feito trocando as culturas a cada novo plantio de forma que as necessidades de adubação sejam diferentes a cada ciclo. Consiste em alternar espécies vegetais, numa mesma área agrícola. A rotação de culturas é vantajosa por que

 

a) viabiliza a possibilidade de produção de vários produtos na mesma safra.

b) diminui a longo e médio prazo os gastos com recuperação de solo.

c) garante, ao agricultor, maior lucratividade em curtíssimo prazo.

d) aumenta a lucratividade do produtor por conta da qualidade do produto.

 

(G1 - Col. Naval) Uma rocha submetida à ação da água, às oscilações de temperatura e à atuação de seres vivos irá, com o tempo, desintegrar-se e decompor-se. Os minerais que a compõem irão se fragmentar e se separar em pedaços cada vez menores, até dar origem ao solo. No caso brasileiro, em função da sua localização geográfica e de suas características físicas, encontramos uma gama de solos, cada um com suas especificidades. Nesse sentido, analise as afirmativas abaixo, referentes aos diversos tipos de solos existentes no Brasil.

 

I. O solo de várzea, argiloso e tipicamente das áreas meridionais do país, possui grande riqueza de materiais orgânicos, os quais são utilizados pelas populações ribeirinhas para cultivos de gêneros agrícolas de subsistência.

II. O solo de massapé, arenoso e encontrado em todo o litoral brasileiro, concentra grandes quantidades de nitrogênio e potássio, o que acabou favorecendo o desenvolvimento de cultivos agrícolas destinados majoritariamente para exportações.

III. O solo de terra roxa, argiloso e comum no norte do Paraná e oeste de São Paulo, em função da decomposição de rochas magmáticas, resultaram em nutrientes importantes, favorecendo a sua utilização no plantio de culturas como o café.

IV. O solo conhecido como salmourão, arenoso e com grande gradiente de fertilidade, especialmente por sua decomposição química e riqueza em materiais orgânicos, contribuiu para que a região Nordeste se tornasse grande produtora e exportadora de cana-de-açúcar.

 

Assinale a opção correta.

a) Apenas as afirmativas I e. II são verdadeiras. 

b) Apenas as afirmativas I e IV são verdadeiras. 

c) Apenas as afirmativas II e III são verdadeiras. 

d) Apenas a afirmativa III é verdadeira. 

e) As afirmativas I, ll, III e IV são verdadeiras. 

 

(UNIMONTES) Sobre os tipos de solos e suas características, assinale a alternativa incorreta.

a) Os solos aluviais formam-se por acúmulo de sedimentos e partículas, transportados a grandes distâncias pela força das águas e dos ventos. 

b) O solo muito arenoso apresenta alto teor de matéria orgânica e grande capacidade de retenção de água, sendo, assim, muito fértil. 

c) Os solos mais escuros são os de mais alto valor para a agricultura, pois apresentam grande quantidade de matéria orgânica. 

d) O processo de formação do solo, a partir de uma rocha matriz, é um processo lento e depende da ação de elementos naturais como o clima. 

 

(UECE) Aos processos de desagregação física ou decomposição química das rochas e ao desgaste e remoção dos solos e das formações superficiais da terra, dá-se as denominações respectivas de

 

a) intemperismo e erosão.

b) erosão e regolito.

c) pedogênese e intemperismo.

d) tectonismo e erosão.

 

(FUVEST) A erosão dos solos é um grave problema ambiental e socioeconômico. A intensidade dos processos erosivos, por sua vez, relaciona-se a fatores naturais e à ação humana.

 

a) Identifique e explique dois fatores que contribuem para a erosão dos solos, sendo um deles natural e outro decorrente da ação humana.

 

b) Identifique e explique um problema socioeconômico relacionado à erosão dos solos em áreas urbanas.

 

Resolução:

 

a) A erosão do solo é um processo natural, que pode ser intensificado por fatores naturais, tais como um maior grau de declividade do terreno, um maior índice pluviométrico, ou uma baixa densidade vegetal, entre outros; e por fatores decorrentes da ação humana, tais como a retirada da cobertura vegetal original, ou sua substituição por culturas ou pastagens.

 

b) Entre os problemas socioeconômicos, podemos destacar a ocupação de áreas de risco, como fundo de vales e encostas, potencializando os processos erosivos.

 

(UNEAL) Leia o excerto para responder à questão.

 

[... tanto os pobres (podzol), como os ricos (tchernozion) são explorados intensamente, com investimentos constantes em produtos químicos e também, tecnológicos.]

 

(J. Willian Vesentini, Sociedade e Espaço. Adaptado)

 

Esse trecho traz algumas características da região temperada do globo terrestre, referindo-se

 

a) aos solos.

b) à vegetação.

c) à hidrografia.

d) ao clima.

e) à agropecuária.

 

(U.E.SANTA CRUZ) Além do superaquecimento, o desmatamento concorre também para uma rápida deterioração do meio e alteração irreversível da fertilidade da Amazônia. A eliminação da sombra faz com que haja um aumento excessivo da temperatura dos solos. Esse aumento causa não só a rápida destruição do húmus e da flora de fungos e outros microorganismos que [...] são indispensáveis à fertilização do solo, como pode aumentar muito a evaporação direta, causando a subida, por capilaridade, da umidade das regiões mais profundas do solo, carregadas de sais de ferro em solução.

 

BRANCO, Samuel M. O desafio amazônico, ed. rev. e ampl. São Paulo: Moderna, 1995.

 

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a Amazônia, identifique as afirmativas verdadeiras.

 

I. Os sais minerais, ao secarem no solo, provocam o fenômeno da laterização.

II. A impermeabilização provocada pela laterização do solo aumenta o escoamento superficial.

III. O aumento do escoamento superficial provoca a erosão do solo e, consequentemente, o assoreamento dos rios.

IV. Uma das consequências do desmatamento é a modificação da acidez do solo devido à grande quantidade de matéria orgânica acumulada.

V. As oscilações diárias de temperatura, como desmatamento, deverão diminuir, devido à falta de água na atmosfera.

 

A alternativa que indica todas as afirmativas verdadeiras é a

 

a) I, IV

b) III, V

c) I, II, III

d) II, III, IV

e) III, IV, V

 

VESTIBULAR 2010

 

RELEVO

 

(UFSJ) Observe a figura abaixo.

 

 

A figura ilustra o relevo característico da região da Serra da Mantiqueira, que abrange os Estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Sobre esse relevo é CORRETO afirmar que ele se constitui de

a) dobramentos modernos originados de processos geológicos recentes nos quais predomina o intemperismo físico.

b) rocha desgastada fundamentalmente pelo intemperismo físico resultante da ação dos ventos.

c) morros arredondados — denominados mares de morros — e bastante intemperizados.

d) montanhas nas quais os processos erosivos impedem a sedimentação da planície

 

(UFAL) No mapa a seguir, a seta está indicando um importante compartimento regional de relevo do Brasil. Nesse compartimento, dominam:

a) amplos dobramentos.

b) serras cristalinas.

c) chapadas.

d) escarpas de falhas cristalinas.

e) maciços residuais.

 

VESTIBULAR 2008

 

relevo

 

(FMTM) Considere os itens a seguir para responder a questão.

 

I. Consiste no derramamento do magma na superfície do planeta, o que pode ocorrer através de fendas ou orifícios na crosta. Na superfície, o magma esfria e torna-se sólido, formando uma nova camada rochosa.

II. Ocorre em função do contato das rochas com as águas e a umidade, ocasionando reações de destruição da rocha original. Sua ação é mais intensa nas regiões tropicais úmidas e equatoriais.

III. Trata-se da retirada de material rochoso das áreas mais altas do relevo terrestre pela água, que é transportado como materiais em suspensão para as áreas mais baixas e nelas se depositam, formando camadas de sedimentos.

 

Sobre os agentes modificadores do relevo terrestre, descritos em I, II e III, pode-se afirmar que

 

a) todos são agentes externos, ou seja, atuam modificando somente a parte superficial do relevo terrestre.

b) I é um agente interno, formador do relevo, enquanto II e III são agentes externos esculpidores do relevo.

c) I e II são agentes internos, por se tratarem de processos de transformações químicas das rochas, enquanto III é um agente erosivo externo.

d) apenas o agente III é atual, enquanto I e II atuaram no passado, criando as grandes formas do relevo.

e) são todos agentes erosivos, ou seja, suas ações sobre a superfície destroem o relevo original.

 

VESTIBULAR 2007

 

relevo

 

(FGV - ECONOMIA) Graben e Horst são formas de relevo associadas às falhas tectônicas.

 

 

No Brasil, os exemplos para I e II são, respectivamente,

a) Vale do Itajaí e Serra Geral.

b) Vale do Paraíba e Serra do Mar.

c) Planície Amazônica e Serra do Cachimbo.

d) Vale do São Francisco e Chapada Diamantina.

e) Planície Costeira e Serra do Espinhaço.

 

VESTIBULAR 2006

 

RELEVO

 

(FGV - ECONOMIA) A questão está relacionada ao perfil topográfico e ao mapa apresentados a seguir.

 

 

O perfil topográfico apresentado corresponde, no mapa, ao trajeto indicado pelo número

 

a) 1.

b) 2.

c) 3.

d) 4.

e) 5.

 

(UEL) Analise a imagem e leia o texto a seguir.

 

Vale do Paraíba - Cunha

 

“O dinamismo da superfície da Terra é fruto da atuação antagônica de duas forças ou de duas fontes energéticas – as forças endógenas ou internas e as forças exógenas ou externas. Do jogo dessas duas forças opostas resulta toda dinâmica da crosta terrestre ou litosfera.[...] Esse processo de criação de formas estruturais pelas forças endógenas e de esculturação pelas forças exógenas é permanente ao longo do tempo e do espaço.”

 

 (ROSS, Jurandyr L. S. (Org.). Geografia do Brasil. Edusp: São Paulo, 1995. p. 17.)

 

Com base na imagem, no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar:

 

a) A orogênese, processo causado pela ação das forças exógenas, é responsável pelo padrão de esculturação das formas de relevo mostradas na imagem.

b) Os morros com topos convexos apresentados na imagem são causados pelas forças endógenas próprias de climas áridos, atuantes no Sudeste brasileiro.

c) As formas de relevo apresentadas na imagem decorrem da ação de forças exógenas, relacionadas

a climas úmidos, sobre áreas de dobramentos antigos nas quais estão presentes rochas cristalinas.

d) As formas de relevo presentes na imagem decorrem da predominância do intemperismo físico, força endógena que, por meio da desagregação mecânica, atua sobre as rochas sedimentares da região.

e) A orogênese, processo decorrente da ação das forças exógenas, é responsável pelo tipo de intemperismo que definiu o modelado do tipo “mares de morro” que a imagem mostra.

 

(URCA) O texto abaixo descreve um dos domínios morfoclimáticos do Brasil. Leia com atenção e assinale a opção que o indica corretamente:

 

            “Esse domínio paisagístico localiza-se na porção litorânea do país, desde o Nordeste até o Sul, penetrando mais para o interior no Sudeste, particularmente em São Paulo. Corresponde à unidade de relevo denominada planaltos e serras do Atlântico leste-sudeste. Têm origem em serras erodidas principalmente pelas chuvas, e isso ocorre porque esse domínio se localiza sobre terrenos cristalinos onde predominam os granitos e gnaisses. Pelo fato de se localizar relativamente próximo ao litoral, essa

paisagem natural vem sendo intensamente ocupada desde a época colonial, razão pela qual abriga hoje as maiores densidades demográficas do país, sediando grandes metrópoles.”

 

a) Domínio das Pradarias;

b) Domínio da Araucária;

c) Domínio dos Mares de Morros;

d) Domínio da Caatinga;

e) Domínio do Agreste.

 

(UNIFESP) O mapa aponta três grandes unidades do relevo brasileiro.

 

 

Assinale a alternativa que as identifica corretamente no perfil AB e o processo que predominou na sua formação.

 

a) Planaltos, sedimentação; Depressões, dobramentos; Planícies, erosão.

b) Planícies, dobramentos; Planaltos, sedimentação; Depressões, sedimentação.

c) Depressões, erosão; Planícies, erosão; Planaltos, dobramentos.

d) Planícies, sedimentação; Planaltos, erosão; Depressões, erosão.

e) Planaltos, erosão; Depressões, sedimentação; Planícies, sedimentação.

 

(UEPB)

 

 

No cartograma, as áreas escuras representam importantes cadeias montanhosas do mundo. Identifique-as, enumerando a seqüência de parênteses abaixo, de 1 a 5, conforme a correspondência correta:

 

(   ) Cadeia do Himalaia, onde se encontra o pico Everest, “o topo do mundo”, com seus 8.848m.

(   ) Alpes, dobramentos modernos que dominam em todo o território suíço.

(   ) Montanhas Rochosas, cadeia montanhosa que é uma importante reserva de recursos minerais chegando até o Alaska.

(   ) Cadeia do Atlas, que provoca maior incidência de chuvas na região do Magreb, tornando estas terras úmidas e férteis.

(   ) Cordilheira dos Andes, formação geológica recente que se estende da Venezuela ao sul do Chile, numa extensão de 7.500km, com altitudes que ultrapassam os 7.000m.

 

Assinale a seqüência correta:

 

a) 5 3 4 2 1

b) 4 5 2 3 1

c) 4 3 5 2 1

d) 3 5 4 1 2

e) 4 2 5 1 3

 

(FATEC) Observe o perfil topográfico e o mapa a seguir.

 

 

Assinale a alternativa que identifica no mapa a seqüência encontrada no perfil topográfico apresentado.

a) 1.

b) 2.

c) 3.

d) 4.

e) 5.

 

(PUCSP) Observe:

 

 

Esse perfil topográfico representa um dos eixos do projeto de transposição das águas do rio São Francisco. As formas de relevo representadas no perfil são:

 

a) depressão e planalto, pois se trata de região onde predominam processos erosivos.

b) planície e planalto, pois se trata de região onde predominam processos de sedimentação.

c) montanhas e planície, pois se trata de região onde predominam processos erosivos.

d) planalto e serra, pois se trata de região onde predominam processos de sedimentação.

e) serra e depressão, pois se trata de região onde predominam processos de sedimentação.

 

solo

 

(MACK) Os solos do semi-árido nordestino são, em geral, mais rasos que os solos do Sul e do Sudeste do Brasil, em virtude:

 

a) da intensa lixiviação na região, que provoca constante dissolução e transporte dos elementos mais solúveis contidos nos solos.

b) da formação das lateritas, ocasionadas pelos baixos índices pluviométricos da região.

c) do aumento da acidificação, que compromete o uso do solo para as atividades agrárias.

d) da fraca pluviosidade e da elevada evapotranspiração da região.

e) da diminuição de nutrientes minerais e orgânicos, decorrente do clima seco e quente.

 

VESTIBULARES ANTERIORES

 

RELEVO

 

(UFAP) Observe atentamente o mapa.

Description: mapa

(Adaptado de ROSS, Jurandyr L. S. In:MIRANDA, Leodete e AMORIM, Lenice. Atlas Geográfico. Cuiabá: Entrelinhas, 2001, p. 7.)

 

Sobre a classificação do relevo brasileiro proposta por Ross, assinale a afirmativa INCORRETA.

 

a) Considera planaltos, planícies e depressões como formas de relevo que se destacam regionalmente.

b) Dentre as classificações de relevo que abrangem todo o território brasileiro, a de Ross foi a terceira a ser apresentada.

c) Conforme essa classificação, as depressões são superfícies do relevo que ficam situadas altimetricamente acima das planícies.

d) De acordo com Ross, o território do estado de Rondônia apresenta depressões, planícies e planaltos.

e) Está baseada apenas nos critérios morfoclimáticos e morfoesculturais.

 

(FGV) As áreas assinaladas no mapa por X-Y-Z correspondem, respectivamente, às seguintes unidades do relevo brasileiro:

 

Description: 矸䰜矸俖矸

 

a) Planaltos Residuais Norte-Amazônicos / Planaltos e Chapadas da Bacia do Parnaíba / Planaltos e Chapadas da Bacia do Paraná.

b) Depressões Marginais Amazônicas / Depressão Sertaneja e do São Francisco / Depressão Periférica Sul-Rio-grandense.

c) Planaltos Residuais Norte-Amazônicos / Depressão Sertaneja e do São Francisco / Chapadas da Bacia do Paraná.

d) Depressões Marginais Amazônicas / Planaltos e Chapadas da Bacia do Parnaíba / Chapadas da Bacia do Paraná.

e) Planaltos Residuais Norte-Amazônicos / Planalto da Borborema / Depressão Periférica Sul-Rio-grandense.

 

(UFES) No trecho compreendido entre os pontos A e B, na figura, verificam-se as seguintes formas de relevo: planície, planalto em bacia sedimentar, depressão, depressão, planalto em bacia sedimentar e depressão. De acordo com a classificação de Ross (1990), tais formas de relevo correspondem, respectivamente, às unidades do relevo brasileiro indicadas em uma das opções abaixo. Marque-a.

 

Description: 矸䰜矸俖矸

 

a) Pantanal do rio Guaporé; planalto e chapada dos Parecis; depressão Sul - Amazônica; depressão periférica da borda leste do rio Paraná; planaltos e chapadas da bacia do Parnaíba e depressão Sertaneja - São Francisco.

b) Pantanal Mato-gGrossense; planaltos e chapadas da bacia do Paraná, depressão do Araguaia - Tocantins; depressão do Tocantins; planaltos e chapadas da bacia do Parnaíba e depressão Sertaneja - São Francisco.

c) Pantanal Mato-Grossense; planaltos e chapadas da bacia do Paraná; depressão Cuiabana; depressão Araguaia - Tocantins; planaltos e chapadas do Parnaíba e depressão do rio Miranda.

d) Pantanal do rio Guaporé; planaltos e chapadas da bacia do Paraná; depressão Cuiabana; depressão do Tocantins; planaltos e chapadas da bacia do Parnaíba e depressão Sertaneja - São Francisco.

e) Pantanal Mato-Grossense; planalto e chapadas dos Parecis; depressão do Araguaia - Tocantins; depressão do Tocantins; planaltos e chapadas da bacia do Parnaíba e depressão do rio Miranda.

 

ATUALIZADO EM 10/04/2013